Clique aqui para obter sua versão para impressão

Alguns mistérios do Egito

Parece que já se sabia tudo sobre as pirâmides e os túmulos egípcios. Mas a ciência nunca se detém e, graças à tecnologia moderna, novas descobertas surpreendentes foram feitas e hoje vamos apresentar algumas delas.

Câmaras secretas da Pirâmide de Gizé

Em 1993, com a ajuda de robô ’Upuaut II’ no canal de ventilação sul da Pirâmide de Gizé (também conhecida como a Grande Pirâmide) foi encontrada uma porta. Investigações posteriores mostraram a presença de uma pequena câmara que acabava em uma outra porta. Em 2010 um robô chamado ’Djedi’ conseguiu entrar pela primeira porta e descobriu maçanetas de cobre, que tinham forma de laços. Também descobriu alguns hieróglifos na cor ocre desenhados no chão. Além disso, embora afirmem que, segundo dados oficiais, nos últimos 9 anos ninguém tenha entrado neste canal, apareceram ali alguns novos arranhões nas paredes e um corte profundo no teto.

A verdadeira idade das pirâmides  

Costumava-se acreditar que a pirâmide foi concluída em 2.540 a.C. No entanto, alguns cientistas põem em dúvida essa teoria, por causa pistas encontradas em Gizé. Os textos escritos sobre elas dizem que não foram dadas ordens para construí-la, mas para restaurar sua esfinge. Além disso, a pesquisa moderna mostra que os sulcos em seu corpo são traços de chuvas e a última vez que as águas atingiram esse nível foi há 8.000 anos.

Mistério térmico da Pirâmide de Gizé

Em 2016 foram realizadas várias investigações sobre a Pirâmide de Gizé, usando o método de termografia infravermelha. Com a técnica, descobriu-se que na base da Grande Pirâmide existiam algumas lacunas inexplicáveis. Supõe-se que ali pudesse haver um espaço vazio ou um túnel subterrâneo. As zonas com diferentes temperaturas também foram descobertas na parte superior da pirâmide. O Ministério Egípcio das Antiguidades (Egyptian Ministry of Antiquities) ainda não apresentou dados sobre esse tema.

A tecnologia de construção das pirâmides

O francês Joseph Davidovits, um dos maiores especialistas em Egito antigo do mundo, afirma que os blocos das pirâmides foram produzidos diretamente no local de construção. Isso explica por que na base existem blocos pesando até 70 toneladas e por que não há espaço entre eles (o bloco superior foi produzido em cima do inferior). No entanto, os geólogos e os paleontólogos que estudaram a estrutura dos blocos das pirâmides afirmam que se tratam de enormes peças de sedimentos naturais, tratados por seres humanos, o que é algo contrário à teoria de Davidovits. No momento não há uma hipótese única sobre como e com que tipo de material as pirâmides foram construídas.

A maldição da sepultura de Tutancâmon

O túmulo foi descoberto em 6 de novembro de 1922 por Howard Carter e lorde George Carnarvon. Durante as investigações sobre o túmulo, Carter encontrou uma tábua que tinha o seguinte aviso: “a quem se atrever a perturbar a paz do faraó, a morte estenderá as suas asas”, mas Howard não prestou atenção nela. Começaram a falar sobre a maldição, quando surgiu a notícia da morte de 22 pessoas: 13 participantes da descoberta do túmulo e 9 pessoas de sua família. Em 1930, somente oito anos depois, apenas Howard Carter continuava vivo. Os cientistas procuram explicar a maldição do faraó com um veneno que os sacerdotes passaram nas paredes e no próprio sarcófago, mas ainda não há base científica que confirme essa teoria. Mas são histórias como essa que motivaram filmes como os da série Indiana Jones.

Está a fim de curtir experiências únicas com um tratamento diferencial e exclusivo, deixe nos comentários suas dúvidas ou seu e-mail que estaremos entrando em contato para atender nossos queridos clientes . Aqui temos os pacotes, as rotas e atendimento exclusivos para vocês!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat
//]]>